Série Brasil 2010

A característica principal desse conjunto de obras é a formação instrumental, que contempla obras para instrumentos solistas e orquestra de cordas, de câmara ou sinfônica. As obras dessa nova série mantêm elementos estilísticos solidificados na Série Brasil 2000, mas desenvolvem uma estética hibridizada a partir de diversas influências. Enquanto as obras da Série Brasil 2000 são concebidas em um único movimento, as obras da Série Brasil 2010 têm vários.

Série Brasil 2010 (2009-)

Série Brasil 2010 n. 1Concerto para Duas Flautas e Orquestra de Cordas op. 30 (2009) — Duas Flautas solo, Orquestra de Cordas e Cravo

Série Brasil 2000 n. 2 – Concerto para Violão e Orquestra de Câmara op. 31 (2009) — Cordas, Oboé, Flauta e Violão solo

Série Brasil 2000 n. 3 – Concerto para Piano e Orquestra op. 32 (2009-2010) — (1.2.2.2.2 – 2.2.2.0 – Timp. + 1 Perc. – Piano solo – Cordas)

Série Brasil 2000 n. 5 – Concerto para Flauta e 8 Violoncelos op. 37 (2011)

Série Brasil 2000 n. 6 – Concerto para Violino e Orquestra de Cordas op. 40 (2012)

Série Brasil 2000 n. 7 – Concerto para Quarteto de Cordas e Orquestra de Cordas op. 46 (2013)

Série Brasil 2000 n. 8 – Concertante para Tímpanos e Orquestra op. 51 (2014-2015)

Série Brasil 2000 n. 9 – Suíte-Concertante para Bandolim e Orquestra de Câmara  op. 52 (2016)

Série Brasil 2000 n. 9b – Suíte-Concertante para Clarinete e Orquestra de Câmara  op. 52b (2016)

 

Série Brasil 2000

 

Concebi a Série Brasil 2000 como um conjunto de obras para diversas forças instrumentais a exemplo das Bachianas de Villa-Lobos. Nessas obras procurei uma síntese entre elementos da música brasileira e feições estilísticas do Minimalismo, um equilíbrio entre os elementos nacionais e o vôo universalista, definindo uma estética pessoal mas também inclusiva.

Série Brasil 2000 (1997-2008)

Série Brasil 2000 n. 1 – Brasil Amazônico (1998-2000) — Orquestra (1.2.2.2.2 – 4.2.3.0 – 3 Perc. – Harpa – Cordas)

Série Brasil 2000 n. 2 – Papaji (1997) — Violoncelo e Piano

Série Brasil 2000 n. 3 -Toccata Amazônica (1998-99) — Orquestra (1.2.2.2.2 – 4.3.3.0 – 5 Perc. – Piano – Cordas) / 8 Percussionistas e Piano

Série Brasil 2000 n. 4 – Toronubá (2000) — Orquestra (1-2-2-Eh.-2-Bcl.-2 – 4.3.3.1 – Timp. + 4 Perc. – Piano – Cordas) / Orquestra de Câmara (Cordas, 3 Perc., Piano) / 8 Percussionistas e Piano

Série Brasil 2000 n. 5 – Pattapiana (2001) — Flauta solo e Orquestra de Cordas

Série Brasil 2000 n. 6 – Aiamguabê (2002) — Orquestra de Cordas e Piano / Quarteto com Piano

Série Brasil 2000 n. 7 – Elegia Fantasia (2003) — Orquestra de Cordas

Série Brasil 2000 n. 8 – Uguabê (2008) — Orquestra de Cordas e Piano / Quarteto com Piano

Série Brasil 2000 n. 9 – Canauê (2005-2007) — Orquestra (1.2.2.2.2 – 2.2.0.0 – 3 Perc. – Cordas) / Orquestra de Cordas

 

Quando da apresentação de toda a Série Brasil 2000 em um único concerto (~ 86 min. de música), a ordem poderá ser:

Parte I  

1. Papaji

2. Elegia Fantasia

3. Pattapiana

4. Aiamguabê

5. Uguabê

(42 min.)  

Parte II 

6. Canauê

7. Toccata Amazônica

8. Brasil Amazônico

9. Toronubá

 (44 min.)